Quem não gosta dos curtas-metragem da Pixar? Sabe aqueles filminhos fofos e divertidos, repletos de bom humor e animação que tem pouca duração e aparecem sempre antes de um filme produzido pela empresa da Walt Disney Company? São eles que ganham o coração de todos com suas histórias animadas e sua bela trilha sonora.

Produzido pela Pixar Animation Studios em 21 de junho de 2013, para ser apresentado antes da estreia do filme “Universidade Monstros”, o curta “The Blue Umbrella” ou “O Guarda-Chuva Azul”, em tradução livre, conta a história de um caso de amor entre dois guarda-chuvas, que se apaixonam à primeira vista em uma noite chuvosa e que enfrentam algumas dificuldades para ficarem juntos.

Abusando da criatividade, a Pixar elaborou um curta-metragem de animação sem diálogos e que recorre a efeitos visuais e musicais que alcançaram o espectador emocionalmente, deixando-o na lista dos curtas como a mais linda e apaixonada história de amor do cinema.

 

O amor tem cor

the blue umbrella

Ao assistir ao filme, percebemos que o guarda-chuva azul e o vermelho se destacam em meio a uma multidão de guarda-chuvas pretos, que parecem fazer o “trabalho” de proteger seus donos da chuva com muito desânimo e mal humor.

Sorridente, o guarda-chuva azul cuida alegremente do seu dono quando se depara com um guarda-chuva vermelho que o encanta espontaneamente com sua leveza e sorriso fácil. Animado, ele percebe que foi amor à primeira vista e, quando menos espera, os dois estão trocando olhares tímidos e graciosos na chuvosa noite da cidade grande.

Apesar do flerte retribuído, os proprietários dos dois guarda-chuvas acabam se separando em meio à multidão, o que os deixa profundamente tristes e desconsolados. Como se não bastasse a separação, o forte vento acaba levando violentamente o guarda-chuva azul para o meio da rua, onde ele corre o risco de ser atropelado e maltratado. Mesmo se sentindo sozinho e de coração partido, outros objetos da cidade tentam ajudar para que o seu amigo azul se recupere e reencontre o amor da sua vida para juntos terem um final feliz e apaixonado.  

Por fim, o dono do guarda-chuva azul o encontra jogado no cantinho de uma rua e o apanha e, logo em seguida, aparecem novamente o vermelho e sua dona para ajudá-los, levando a linda história de amor a terminar com os quatro juntos e felizes em um café.

A inspiração

A ideia para esse curta surgiu pelo diretor Saschka Unseld, depois que o mesmo encontrou um guarda-chuva abandonado pelas ruas de São Francisco. Para a inspiração do filme, Unseld e outros profissionais observaram e fotografaram objetos avulsos de algumas cidades como Nova York, Chicago e Paris, para enfim criarem o cenário de uma “declaração de amor à chuva”, como o seu próprio criador o descreve.

Além de conquistar e emocionar os espectadores, The Blue Umbrella acabou sendo avaliado também pela crítica especializada. O website Collider.com, por exemplo, deu ao filme a maior nota e escreveu uma pequena resenha: “The Blue Umbrella é um adorável curta de seis minutos. Uma agradável história de garoto-encontra-garota que introduz um número de personagens memoráveis e originais da cidade que, ao assisti-lo, você se encontrará sorrindo e vendo rostos onde quer que vá. É inteligente, bonito e peculiar, e uma ótima abertura para Monsters University, ou ‘Universidade Monstros’, da Pixar”.

Já o National Post, descreveu o Guarda-Chuva Azul como sendo “seis minutos de beleza em gotas de chuva” e o apontou como indicação ao Oscar, de melhor curta-metragem.

Nosso guarda-chuva azul

 the blue umbrella

The Blue Umbrella é cheio de personalidade (Foto: Reprodução / Youtube)

 

Romântico e cheio de personalidade, o curta nos faz pensar em como devemos encarar o nosso dia a dia e a relação com as pessoas a nossa volta, principalmente no âmbito amoroso. Mesmo em uma noite fria e lotada de guarda-chuvas tristes, o azul e o vermelho estavam sorridentes e animados, sendo essa a verdadeira razão para aquela atração instantânea.

Quando falamos em chuva e frio, logo nos imaginamos aquecidinhos dentro de casa, enrolados na coberta, vendo um filminho ou uma série com a “tampa da nossa panela” ou até mesmo saindo para jantar em algum restaurante gostoso e aconchegante. É exatamente esse cenário que imaginamos com o desfecho de The Blue Umbrella, mas antes, ele nos leva à ideia de amor, dificuldades e conquista.